Curso de Aprimoramento em Miocardiopatias

– As inscrições deverão ser realizadas pelo site www.cursos.idpc.org.br no período de 01/10/2018 até 30/11/2018.
– Consulte o Edital

Qualificar médicos na área da cardiologia para especialização no atendimento ambulatorial e hospitalar dos pacientes portadores de Miocardiopatias, Pericardiopatias, Tumores Cardíacos, Cor Pulmonale Crônico, Tromboembolismo Crônico e Cardiopatias Raras, ressaltando os aspectos diagnósticos, incluindo diagnóstico diferencial, tratamento clínico-cirúrgico e seguimento. Incentivar profissionais a conduzir levantamento de dados, a realizar pesquisa clínica em áreas relacionadas a área de atuação.

Ao final de um ano, o aprimorando deverá ter conhecimento sobre:

– Etiologia, fisiopatologia, diagnóstico e tratamento de todas as Miocardiopatias,

– Etiologia da Miocardiopatia com hipertrofia ventricular,

– Estratificação do risco de morte súbita e indicação de dispositivos implantáveis na Cardiomiopatia Hipertrófica,

– Condução de arritmias e dispositivos implantáveis (indicação e otimização de desempenho), discutindo casos com especialistas de eletrofisiologia,

– Indicação do momento ideal para tratamento intervencionista percutâneo ou cirúrgico de pacientes com Miocardiopatia Hipertrófica,

– Diagnóstico, tratamento e acompanhamento de doenças raras (Doenças de Fabry, Pompe e Amiloidose), e quando indicar estudo genético,

– Diagnóstico, tratamento e acompanhamento de Tumores Cardíacos,

– Diagnóstico e tratamento da Insuficiência Cardíaca (IC),

– Analisar minuciosamente o teste cardiopulmonar, manometria e critérios de indicação para Transplante Cardíaco,

– Identificação do momento ideal de indicação de transplante cardíaco,

– Diagnóstico, tratamento e acompanhamento das Pericardiopatias,

– Diagnóstico e tratamento da Embolia Pulmonar e a indicação de Tromboendarterectomia,

– Controle da anticoagulação dos pacientes com Fibrilação Atrial, Tromboembolismo Pulmonar e Arterial, tumores cardíacos e outra causas elegíveis,

– Interpretação dos exames complementares, que auxiliam na decisão da conduta frente ao paciente com Miocardiopatia, IC, Pericardites e Tumores Cardíacos como: radiologia, eletrocardiografia, cateterismo cardíaco, ecocardiografia, tomografia e ressonância magnética.

Coordenadora

Dra. Edileide de Barros Correia

Corpo Docente

  1. Dra. Edileide de Barros Correia – cardiologia
  2. Dr. Marcos de Oliveira Vasconcellos – cardiologia
  3. Dr. Renato Borges Filho – cardiologia
  4. Dr. Fabiano Castro Albrecht – cardiologia
  5. Dra. Ana Cristina de Souza Murta – cardiologia e ecocardiografia
 Número de vagas: 3 (três)
 Duração do curso: 1 (um) ano
 Carga horária semanal: 36 horas / 4 Dias por semana (liberação na quinta feira).
 Carga prática/teórica semanal: 27 horas / 9 horas.
Caso o aprimorando (R3) for matriculado para mestrado profissional ou doutorado no Instituto Dante Pazzanese, será liberado nos horários de aulas havendo a comprovação das mesmas.
 Período do curso: Março/2019 a fevereiro de 2020
 Pré-Requisitos: 2 (dois) anos de residência médica em Clínica Geral.
 Critérios de seleção: Prova, Análise do Curriculum Vitae e entrevista.

O curso será divido em:

1. Pratica ambulatorial e hospitalar,
2. Atividades teóricas,
3. Pesquisa relacionada às Miocardiopatias.

Atividade prática ambulatorial:

A sessão de Miocardiopatias atende cerca de 350 pacientes/semana, com as mais diversas patologias miocárdicas e analisa cerca de 100 exames de INR/semana para ajuste da anticoagulação.

– Orientação dos R1 sobre as atividades do ambulatório geral,

– Participação em protocolos de pesquisa,

– Atividades da seção de anticoagulação.

 

Atividade prática hospitalar:

Temos aproximadamente 10 leitos de internamento de pacientes para compensação de insuficiência cardíaca, pós-operatório de resseção de tumores cardíacos, procedimento cirúrgico na cardiomiopatia hipertrófica e pericardite.

– Discussão dos casos internados, com os residentes responsáveis pela evolução dos pacientes,

– Uma visita à enfermaria nas terças-feiras após o ambulatório e nas sextas-feiras com todos os médicos da equipe, com revisão do prontuário, para maior conhecimento da evolução do paciente e análise dos exames complementares.

Atividade teórica:

– Escolha e supervisão dos artigos a serem apresentados na reunião de artigo, às segundas feiras;

– Discussão de casos clínicos diariamente, no final da tarde,

– Ministrar aulas teóricas,

– Assistir os fóruns de sextas feiras,

– Apresentação de casos para decisão quanto ao implante de cardiodesfibrilador, ressincronizador e otimização do desempenho destes dispositivos

Atividade científica:

– Preparação de pelo menos um trabalho de pesquisa original para apresentação no Congresso da SOCESP ou da SBC, ou revisão bibliográfica de um tema escolhido e posterior publicação,

– Incentivo a produção científica aos R1, utilizando os casos avaliados e acompanhados no ambulatório e enfermaria.